terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Teletransporte quântico 1

A física quântica não é exatamente uma área da física, mas um domínio da física. Quando se estuda o mundo do extremamente pequeno, o pesquisador de física precisa utilizar necessariamente o domínio da física quântica. Assim, a profissão "físico quântico" não existe, porque em essência, todo bom físico obrigatoriamente acaba trabalhando com física quântica em menor ou maior grau.

Um dos aspectos mais fascinantes da física quântica é o chamado "emanharamento quântico". Tenho um amigo, atual professor da Universidade Federal de São Carlos, que conhece profundamente o assunto. Sua tese de doutorado pode ser vista no sítio:

Gustavo Rigolin: Tese sobre estados quânticos emaranhados

Indico a tese acima para quem quiser conhecer com mais detalhe o teletransporte e emanharamento quânticos. E também a nova área tecnológica chamada computação quântica, que está intimamente ligada aos assuntos do presente tópico. Para baixar, basta entrar e preencher um pequeno cadastro na página do governo federal de de obras de domínio público.

Ultimamente, não sei se vocês ouviram falar, uns pesquisadores lá dos EUA conseguiram teletransportar um átomo de itérbio numa distância de um metro.

Ok. Mas como explicar toda essa coisa de teletransporte? A primeira coisa que deve ser entendida, é que o átomo não foi teletransportado no sentido "Jornada nas Estrelas". Na verdade, o que aconteceu foi que as características físicas daquele átomo foram transportadas para outro local, e uma espécie de "clone" idêntico foi criado em outro ponto do espaço. O que se chama de teletransporte quântico é, numa comparação grosseira, uma "clonagem à distância".

Para quem conhece os filmes da trilogia Matrix, se lembrará do agente Smith tomando posse de todos os seres humanos que ele encontra (i.e. as pessoas se transformavam numa cópia exata do agente Smith). Isso é o que seria o teletransporte quântico, se fosse permitido obter teletransporte na nossa escala de tamanho.

Infelizmente, ou talvez felizmente, o teletransporte só é possível na escala quântica, devido a um fenômeno chamado de emaranhamento, que tentarei explicar em rápidas palavras no próximo tópico.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Observatório Obamense

Não vamos ficar sem nada fazer sob o pretexto que agir é difícil. Esse é o momento de fazer coisas difíceis, é a hora de ir ao encontro dos desafios da encruzilhada da história, escolhendo um futuro mais seguro para o nosso país e mais próspero e sustentável para o nosso planeta.

Presidente Barack H Obama, após tomar a medida histórica de estabelecer limites para a emissão de gases poluentes nos EUA, e de reverter a decisão de G W Bush de não deixar a Califórnia tomar uma série de medidas independentes de impacto contra o efeito estufa.

sábado, 24 de janeiro de 2009

Sem comentários...

Quem souber inglês que traduza... E ouça quem tiver ouvidos de ouvir... E pense o que quiser pensar sobre N.Y., WTC, 9 11...

Operação Northwoods, 1962
Página de documento top secret da CIA, tornado público.

Fonte:
Arquivos Oficiais de Segurança Nacional dos Estados Unidos da América:
U.S. Joint Chiefs of Staff, "Justification for US Military Intervention in Cuba (TS)," U.S. Department of Defense, March 13, 1962. The Operation Northwoods document in PDF format on the website of the independent, non-governmental research institute the National Security Archive at the George Washington University Gelman Library, Washington, D.C. Direct PDF links: here and here.


Tributo ao Hubble

Poucos sabem, mas 2009 é o Ano Internacional da Astronomia. Estamos comemorando 400 anos em que Galileo Galilei utilizou um telescópio para fins científicos.

Existe uma personagem importantíssima em toda a comemoração: perto de completar 20 anos em órbita e também de se aposentar, o telescópio espacial Hubble é um dos ícones da vida de muita gente.

Com seu espelho de 2.4 m e sem o empecilho da atmosfera terrestre, foi capaz de obter imagens nunca antes vistas pelo ser humano. É talvez apenas superado pelos grandes telescópios de óptica adaptativa no Chile e no Havaí (p.ex. os Gemini).

As milhares de imagens capturadas foram inspiração para que muitos se apaixonassem por astronomia e para que muitos percebessem a beleza do nosso universo.

Ele mostrou de forma clara e belíssima: lindas nebulosas planetárias (as "orquídeas" do universo); galáxias de diversas morfologias; aglomerados nos confins do universo compostos de bilhões de galáxias; as evidências de que de fato os buracos negros existem; berçários de estrelas com suas colunas extraordinárias de gás alimentando a formação estelar.

Presto um tributo ao Hubble e abaixo algumas imagens que selecionei que já entraram para a história da humanidade, com os devidos créditos do sítio da Nasa http://hubblesite.org/

Clique para ver (em ordem da esquerda para direita):

1.Hubble Deep Field (a descoberta de bilhões de galáxias), 2.detalhes do Deep Field, 3.Os Anéis de Urano, 4.Imagens de Saturno de 1996 a 2000, 5.Detalhes da nebulosa planetária do olho de gato, 6.A Galáxia do Sombrero no Infravermelho, 7.Primeiras imagens de um Buraco Negro (cercado de poeira no centro da galáxia NGC 7052), 8.Lentes Gravitacionais no Aglomerado Abell 1689, 9.Pilares de Gases de Formação Estelar


quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Um grande passo em apenas dois dias...

Na última postagem, me referi aos EUA como a segunda maior nação nazista de todos os tempos. Por muitos motivos (veja em "Os cinco maiores países nazistas de todos os tempos").

No entanto, a entrada do novo presidente Barack Hussein Obama poderá surtir efeitos além do que eu esperava sobre o assunto. Fiquemos de olho e, quem sabe, finalmente um dia eu acabe com este boicote pessoal que fiz a produtos de origem estadunidense, que já dura anos...

Quando li a notícia a seguir, pensei: "finalmente alguém com coragem, quem sabe uma esperança, mas calma, calma, não fique tão animadinho assim já no segundo dia e mantenha a postura!" Devaneios à parte, vejam só:

Obama ordena fechamento da prisão de Guantánamo em 1 ano

Reuters - quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, ordenou nesta quinta-feira o fechamento da prisão militar de Guantánamo dentro de um ano. Obama também exigiu a suspensão de interrogatórios violentos contra suspeitos de terrorismo.

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Os 5 maiores países nazistas de todos os tempos

The requirements of freedom apply fully to Africa and Latin America and the entire Islamic world.
(George W. Bush, no discurso de invasão ao Iraque)

Embora eu saiba que nazismo é uma palavra usada para expressar o nacional-socialismo alemão do século XX, usarei o termo como licença poética. Na minha exclusiva opinião, abaixo destaco os países que cometeram as maiores atitudes nazi-fascistas nos últimos 200 anos contra seres humanos (seria justo, mas polêmico demais, adentrar o assombrado mundo de ataques aos direitos dos animais). Como vocês podem notar, a idéia de que o Terceiro Reich foi o maior país nazista é um marketing promovido por certas nações:

1. Império Britânico (séculos 18, 19 e 20): foi um dos primeiros a teorizar "cientificamente" que existiam diferenças entre as etnias devido a diferença de cor e formato do crânio, e que certas "raças", como os negros, indianos e irlandeses, eram mais criminosas que outras; mapearam Londres de acordo com os bairros onde moravam pessoas com determinados formatos de crânio criminoso (segundo as teorias de Cesare Lombroso e Eugen Fischer); separaram as populações de suas colônias em bairros específicos, precursores do gueto e do campo-de-concentração; 50 milhões de indianos morreram em decorrência desta política; centenas de milhares de aborígenes australianos foram mortos; foi criado o violento sistema de apartheid na África do Sul para separar brancos de negros, e não permitir que houvesse convivência entre os grupos. Hoje o atual Reino Unido tenta se livrar de todas as formas do pesado passado; o problema é que apóia os EUA em guerras no mínimo desconfiáveis.

2. Estados Unidos da América (de ~1850-até hoje): desde o início, os principais colonizadores anglo-saxões dizimaram nações indígenas e promoveram uma sociedade separada em "castas raciais"; na década de 1920 foi contratado o famoso "geneticista" alemão Eugen Fischer para auxiliar os estadunidenses na implantação oficial do regime eugenista de não-mistura de "raças"; todos os casamentos realizados entre brancos e negros, índios e negros, brancos e índios foram dissolvidos em cumprimento de lei e os mestiços eram esterilizados; entre 1915 e 1930, 30 estados norte-americanos promulgaram leis impedindo alguns tipos de casamentos inter-raciais e, em 1924, a entrada de imigrantes do leste europeu e dos países mediterrâneos foi drasticamente limitada pela promulgação da Lei de Restrição da Imigração (Lei Johnson), aprovada com base na justificativa de que esses imigrantes procediam de populações geneticamente inferiores às nórdicas e anglo-saxônicas; este modelo era muito famoso na época e devido ao grande sucesso foi importado para a Europa, em especial para o iniciante Terceiro Reich Alemão. Tal política não existe mais de forma oficial, no entanto é extremamente forte de maneira extra-oficial em grande parte do país, onde negros, latinos e indígenas são vistos de maneira "não-amistosa" por comunidades de "raça pura". Atitudes internacionais como o extermínio em massa de todo o exército iraquiano rendido quando este se retirava do Kuwait, no fim da Guerra do Golfo (violando todos os tratados de guerra), a criação imaginária de fábricas de armas químicas no Iraque para justificar uma invasão (por interesse econômico escamoteado), contam muito para deixar os EUA no segundo lugar da lista, sem falar dos indícios inescrupulosos da participação governamental no 11 de setembro (como não há prova documental sobre o caso, não entrarei no mérito). As atuais novas leis de "segurança nacional" tornaram os EUA extremamente inóspitos para visitantes de origem muçulmana e latina, e o uso da tortura é oficializado em porões que invisíveis se escondem dos apelos da Convenção de Genebra. Herta Däuber-Gmelin, ex-ministra da Justiça do governo alemão de Gerard Schröder, comparou tais métodos àqueles usados por Adolf Hitler no Terceiro Reich. Se isso causa estranheza, pesquise você mesmo: em 3 de junho de 1997, um grupo composto por Jeb Bush, irmão de George W. Bush, Dick Cheney, Francis Fukuyama, I. Lewis Libby, Paul Wolfowitz, Donald Rumsfeld e outros, emitiu uma declaração lançando o Project for the New American Century (Projeto para o Novo Século Americano) com a proposta de aumentar os gastos com defesa, fortalecer os vínculos democráticos e desafiar os "regimes hostis aos interesses e valores" americanos, promover "liberdade política" em todo o mundo, e aceitar para os EUA o papel exclusivo em "preservar e estender uma ordem internacional amigável à nossa segurança, nossa prosperidade e nossos princípios". Isto é quase igual ao discurso de Deutschland über alles (a Alemanha para todos) de Adolf Hitler em 1939. No ano 2001, ao tomar posse, George W. Bush nomeou quase todos os nomes acima para cargos de ministro.

3. Terceiro Reich Alemão (~1930-1945): baseado em uma mistura de eugenismo e religião nórdica, o Terceiro Reich de Hitler oficializou a criação do gueto e do campo-de-concentração para judeus, ciganos, homossexuais e demais "raças" que não fossem "arianas". Eugen Fischer foi nomeado por Hitler como reitor da Universidade de Berlin. Como a interpretação de "raça não-ariana" era algo extremamente subjetivo, o saldo de mortes foi incrivelmente grande: 6 milhões de judeus (principalmente no projeto para "limpar" a Polônia), e mais de 20 milhões de ciganos e eslavos. Resta saber por que, embora sejam de etnia semita, os árabes foram poupados, recebendo até mesmo apoio formal do Terceiro Reich.

4. Sérvia de Milosevic (1992-1995): as etnias não-eslavas eram inferiores e deveriam ser massacradas; soldados foram enviados à Bósnia para metralhar livremente as pessoas nas ruas. Crianças e velhos não foram poupados. A ordem era destruir os croatas e os muçulmanos. O principal massacre ocorreu na cidade de Srebrenica. O objetivo era matar cerca de 50 mil muçulmanos.

5. Segundo Reich Alemão (~1870-1918): Eugen Fischer criou os chamados campos de concentração na Namíbia nesta época; o objetivo era separar negros de brancos, evitar a mistura danosa entre etnias, e demonstrar via experimentos, que a raça negra era inferior; milhares de negros morreram nos campos da Namíbia (os campos da Ilha Shark eram os mais terríveis) e os crânios e cabeças em conserva de negros eram enviadas para a Europa para o estudo em museus e universidades. Na época era comum ver na Europa carroças lotadas de crânios da Namíbia.

Menção honrosa: Itália de Mussolini (~1925-1945; tentou reviver o império romano usando idéias eugênicas híbridas importadas do Terceiro Reich), China (embora tenha sistema produtivo socialista, a China cometeu inúmeras ações eugenistas e fascistas durante sua história; atualmente é um dos países que mais promovem a idéia de raça pura via engenharia genética), Israel (pelos massacres sem-fim de palestinos, libaneses e etc.), Iraque de Sadam (genocídio em massa de curdos com armas químicas), Ruanda (veja postagem especial) e Sudão (muçulmanos fazendo limpeza étnica; veja postagem especial), Império Japonês (século 19-até 1945; invadiu China e outros países orientais para promover um laboratório de limpeza étnica), Argentina do século 19 (implantou uma metódica limpeza étnica de negros e indígenas). E como bem lembrado pelo amigo, físico de partículas, Célio Moura, vale também colocar o Brasil: durante o domínio português implantou o genocídio indígena (veja link aqui) e atrocidades contra os negros; também ainda hoje são cometidas atrocidades aos direitos humanos via grupos de extermínio (matando desde crianças abandonadas a mendigos). E não poderia de mencionar os mais cruéis herdeiros do Império Britânico, além dos EUA: Austrália e África do Sul. O primeiro, dando continuidade a terríveis ações britânicas contra os aborígenes, por cerca de cem anos, tomou as crianças autóctones de suas mães para enviá-las para centros estatais nos quais eram treinadas para trabalhar como criadas da população branca -- crime que ó deixou de ocorrer apenas na década de 1970. Já no caso da África do Sul, a política de apartheid continuou tão ferozmente quanto na época do império, e somente na década de 1990 leis foram estabelecidas para amenizar o pesado currículo nazista do país africano.

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Hebreus, filisteus e guerra santa

Nesta semana, fiz uma enquete aqui no blog e o resultado foi que 75% dos votantes acham que a solução para o oriente médio reside na adoção de um estado completamente laico. Outros 20% acham que reside em sanções tanto para Israel ou também algum outro país que suporte ações terroristas. 5% dos votantes acham que a solução é a destruição de Israel.

Um pequeno comentário sobre o fato de um estado completamente laico. Se formos até a Bíblia, no velho testamento existem diversas passagens interessantes sobre hebreus versus filisteus. E onde os filisteus moravam? Meus caros, moravam lá mesmo, na faixa de Gaza!

Segundo a Bíblia, Deus dera ao povo de Israel, por intermédio de seu guia Moisés, após o cativeiro no Egito, aquela famosa terra onde jorra leite e mel, vulgo Canaã. No entanto, aquela terra estava habitada por diversas tribos (algumas delas conviviam em paz com a tribo de Jacó -- ou Israel -- antes do cativeiro egípcio). No entanto, agora, a terra deveria pertencer apenas ao povo escolhido de Deus. E quem estivesse ali deveria ser esmagado.

Sucedem-se então vários episódios protagonizados pelo herdeiro político de Moisés, o juiz Josué. No entanto, havia uma tribo que teimava em permanecer: a tribo dos filisteus, que morava na cidade de Gaza. Lembram da história de Sansão e Dalila? Quem cortou a cabeleira de Sansão foram os filisteus e Dalila pertencia a esse povo. Lembram de Davi e Golias? Golias era um "gigante" da tribo dos filisteus.

E agora parece que tudo está se repetindo como há 3000 anos. Israel volta de um cativeiro na Europa. Encontram na terra santa os novos filisteus, vulgo palestinos. Os palestinos, assim como os filisteus, não gostaram nada daquilo. E sai da frente que agora não é mais arco-e-flecha: é míssil e foguete, metralhadora e tanque de guerra. Quem é o novo Davi e quem é o novo Golias?

Eu sei muito bem que quem acredita piamente no velho testamento está do lado de Israel. Porque ali diz que Israel é o povo escolhido. No entanto, tem várias passagens em que Deus se torna irado contra Israel: lembram do bezerro de ouro, da escolha de Saul como rei e do culto a Baal?

Por outro lado, grande percentagem do mundo acredita mesmo é no Alcorão, que diz que o muçulmano, aquele submisso a Deus, é o povo escolhido. Encrencou, né?

E agora, Deus está de que lado? De Israel, auto-intitulado o povo escolhido, ou do Islã, auto-intitulado o povo submisso a Deus? Se existe Deus, segundo os meus cálculos, eu tenho a leve impressão que Ele nada tem a ver com guerra e matança. Guerra e matança é com o Diabo, com o Satan ou Sheitan (como chama o muçulmano). Se todos continuarem nesse ódio sem fim, foi mandar um email para o rabino-mor lá da sinagoga e para o imã-mor lá da mesquita: ora bolas, que tal saírem do armário e se converterem de uma vez por todas para a Igreja Universal do Reino do Capeta?

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Mortos na Palestina... Mas e o Congo? E o Sudão?

Em geral nossos olhos se distanciam de tudo que é relacionado à África. A violência, a guerra, crimes contra os direitos humanos e toda sorte de "experimentos" da indústria farmacêutica e da rede de tráfico de armas ocorrem naquele continente. Enquanto isso, nossos olhos ficam focados apenas no oriente médio: a mídia gosta de enfocar o oriente médio, onde estão os ricos xeques árabes e onde estão os judeus donos dos bancos mais poderosos da Suíça.

Mas na África, só tem imundície e tirania. Pobreza e ignorância. Para quê ficar pensando em África?

Só um exemplo simples e ultra-mega-recente: nos últimos dias de dezembro passado, um grupo radical de Uganda entitulado "Exército de Resistência do Senhor", assassinou brutalmente 400 pessoas na República Democrática do Congo. Esse tal exército é um dos muitos que recrutam crianças e adquirem armas que surgem como que por encanto, retiradas da mágica cartola de alguém que provavelmente mora em uma rica cobertura em Nova Iorque.

Além disso, cerca de 20 mil pessoas foram forçadas a fugir para as montanhas por temer ações dos tais rebeldes.

Em entrevista à BBC, o coordenador de uma ONG católica no Congo disse: "Todos os vilarejos [atacados] foram queimados pelos rebeldes. Não sabemos ao certo onde está a população porque os vilarejos estão vazios."

Sobre os assassinatos, algumas das vítimas teriam morrido com golpes de facão, e outras, empurradas em fogueiras. Uma testemunha disse que cinco pessoas foram hospitalizadas depois que tiveram os lábios cortados como advertência para que não falem mal dos rebeldes.

Conforme informação de Tamara Pedron no comentário a este post, a situação no Sudão é ainda muito mais grave. Depois que o governo britânico saiu daquele país em 1956, uma série de ditadores sanguinários têm tomado o poder. O atual ditador, Omar al-Bashir, é presidente desde 1989, e em nome de Alá tem feito coisas totalmente sem lógica, como extermínios em massa de opositores, tribos de etnias diferentes e não-islâmicos. Veja uma matéria completa em:

http://veja.abril.com.br/241208/p_088.shtml

A situação é muito mais complicada que a do oriente médio, mas deixaram de falar dessa chacina e tantos outros focos de guerras africanas. Situação muito complicada onde os esforços são trilhões de vezes menores que aqueles do oriente médio: sem xeques árabes petroleiros e motivantes judeus banqueiros, para quê ficar se preocupando?

Especificamente sobre o Sudão, o sítio do governo:

http://www.sudan.gov.sd/en/

Sugiro enviar uma mensagem para o presidente do Sudão, o ditador Omar al-Bashir:

o_president@sudan.gov.sd

É difícil entender todos os aspectos dos problemas na África. Muitos deles estão relacionados a lutas entre tribos de etnias diferentes. Outros são ligados à pura e gananciosa exploração comercial da indústria ocidental. Existem alguns filmes que tentam retratar tais aspectos de maneira mais ou menos didática. Sobre estes recentes problemas em Uganda com o Exército de Resistência do Senhor, há o ótimo documentário War Dance. Sobre o tráfico de armas, o já bem conhecido O Senhor das Armas; sobre a indústria farmacêutica pirata, O Jardineiro Fiel (clique e você entrará num sítio não só dedicado ao filme, mas também a ajuda humanitária no Quênia); sobre os ditadores africanos tem O Último Rei da Escócia. E por aí vai. Quem se lembrar de mais algum interessante, é só postar nos comentários.

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Ministro de Israel responde a email

Como muitos de vocês, mandei um email para o primeiro ministro de Israel, pedindo o cessar fogo em Gaza. O gabinete mandou uma longa resposta, acredito que automática. Não farei considerações sobre o email. O leitor que tome suas próprias conclusões. No entanto, atenção para algumas frases como: "a culpa por qualquer injúria a civis palestinos recai exclusivamento sobre o Hamas" e "não existe nenhuma crise humanitária em Gaza"(!!!!!!) e também "o Hamas abandonou unilateralmente o cessar-fogo". Sobre esta última, o relator da ONU para a Palestina, Richard Falk, disse recentemente que a trégua mediada pelo Egito foi na verdade quebrada por Israel, em um ataque a Gaza no dia 4 de novembro de 2008. Abaixo alguns trechos no original e em português:

from Prime Minister's Office
to Carlos Coimbra
date Mon, Jan 5, 2009 at 1:21 PM

We acknowledge receipt of your e-mail regarding the IDF campaign to protect the residents of southern Israel.
(...)
Since seizing control of the Gaza Strip by way of a violent coup in June 2007, Hamas – a terrorist organization allied with Iran, Syria, Al Qaida and Hizbullah – has escalated its assault on the State of Israel. Even a truce with Israel was abused by Hamas which persisted in attacking Israeli towns, while also conspiring to upgrade its terrorist capabilities, manufacture and smuggle massive quantities of weapons into Gaza and construct a network of underground tunnels for combat purposes. Now, after Hamas has unilaterally abandoned this ceasefire and expanded the range of its missiles to threaten close to one million Israelis, the State of Israel must act decisively to defend its citizens.

(...)
Hamas, (...) callously places Palestinian civilians in harm’s way, (...) taking the Palestinians of Gaza hostage and using them as human shields. Responsibility for injury to civilians in Gaza rests solely with Hamas.

(...) the State of Israel is doing its utmost to minimize any harm to the Palestinian civilian populace; hundreds of trucks carrying humanitarian aid have been allowed passage into Gaza and this assistance will continue. There is no humanitarian crisis in the Gaza Strip.

The State of Israel seeks peace (...).

Sincerely,

Prime Minister’s Office


Tradução:

"Acusamos o recebimento de seu e-mail acerca da campanha da IDF para a proteção dos moradores do sul de Israel."
(...)
"Desde que tomou o poder na Faixa de Gaza por meio de um violento golpe em junho de 2007, o Hamas - organização terrorista aliada do Irã, Síria, Al Qaeda e Hezbollah - começou uma onda de agressividade contra o Estado de Israel. A trégua que havia com Israel foi quebrada pelo próprio Hamas que persistiu no ataque a cidades israelenses, enquanto conspirava para reciclar suas capacidades terroristas, manufaturar e traficar quantidades maciças de armas e construir uma rede de túneis subterrâneos para propósitos bélicos. Agora, depois que o Hamas abandonou unilateralmente o cessar-fogo e expandir o arsenal de mísseis para ameaçar um milhão de israelenses, o Estado de Israel deve atuar decisivamente para defender seus cidadãos."
(...)
"O Hamas (...) insensivelmente leva os cidadãos palestinos para caminhos danosos (...) tomando os palestinos de Gaza como reféns e os usando como escudos humanos. A responsabilidade por qualquer injúria a civis em Gaza recai exclusivamente sobre o Hamas." (grifos nossos)

"(...) o Estado de Israel está fazendo o máximo para minimizar qualquer dano a civis palestinos; centenas de caminhões levando ajuda humanitária estão entrando em Gaza e tal assistência continuará. Não existe nenhuma crise humanitária na Faixa de Gaza." (grifos nossos)

"O Estado de Israel procura a paz (...)."

"Atenciosamente,

Gabinete do Primeiro Ministro"

domingo, 4 de janeiro de 2009

Israel versus Hamas

É difícil encontrar uma saída para este conflito entre Israel e Hamas (o grupo que controla a faixa de Gaza), que no fundo acaba sendo um ataque contra o próprio povo palestino. Nem parece que o presidente de Israel é um prêmio Nobel da paz (se bem que a situação está mais na mão do primeiro-ministro).

Vamos porém à atitude. Se você, assim como eu e grande parte das pessoas do mundo, nos sentimos impotentes diante da situação, sugiro que enviemos - não custa nada - a seguinte mensagem para Israel:

STOP THE GAZA SIEGE!

(Pare com o ataque a Gaza!) Acesse o link abaixo e envie a mensagem (coloque o seu primeiro e último nome, em subject escreva PEACE! e mande a mensagem acima)

http://www.gov.il/FirstGov/BottomNavEng/default

Se você quiser direcionar um email para a própria primeira-ministra e todo o seu gabinete, no sítio abaixo tem uma lista de endereços eletrônicos

http://www.pmo.gov.il/PMOEng/PM+Office/Contacts/

Pode ser que nada adiante, no entanto mais vale você se expressar do que ficar calado como se concordasse com tudo.

Também, para um trabalho perfeito, teríamos que enviar uma mensagem para o Hamas. No entanto, tento acessar o sítio desde ontem e está fora do ar. De qualquer maneira, o endereço é o

http://www.alqassam.ps/english/

sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Listas de filmes

Nas postagens a seguir compartilho com o leitor seis listas de melhores filmes de todos os tempos publicadas por periódicos especializados em cinema. Uma delas (a da AFI) tem apenas filmes estadunidenses. Outra (a da revista Empire) tem, segundo minha opinião, um resultado não tão confiável, já que recebeu votos de milhares de pessoas que não são necessariamente cinéfilos e que vivem em sua maioria nos EUA ou Reino Unido (note que nesta lista Caçadores da Arca Perdida aparece no segundo lugar - excelente filme, mas incontestavelmente longe de ser o segundo melhor filme já feito).

Na maioria das listas, Cidadão Kane aparece como melhor filme. Sobre isto, fiz alguns comentários na seguinte postagem de dezembro de 2008:

Cidadão Kane e além

Abaixo, os dez melhores filmes de todos os tempos, segundo um cruzamento estatístico de todas as listas. Quatro dos dez abaixo foram feitos na década de 1950. Também minha avaliação pessoal (5 estrelas=excelente).

1. Cidadão Kane (1941) - Orson Welles
2. Um Corpo que Cai (1958) - Alfred Hitchcock
3. Cantando na Chuva (1952) - Stanley Donen & Gene Kelly
4. O Poderoso Chefão (1972) - Francis Ford Coppola
5. 2001: Uma Odisséia no Espaço (1968) - Stanley Kubrick
6. A Regra do Jogo (1939) - Jean Renoir
7. Era uma Vez em Tóquio (1953) - Yasujiro Ozu
8. Luzes da Cidade (1931) - Charlie Chaplin
9. Rastro de Ódio (1956) - John Ford
10. A General (1927) - Buster Keaton

100 melhores filmes - Cahiers du Cinema

Lista publicada pela revista francesa Cahiers du Cinema em 2008. A lista pode ser conferida no livro "100 filmes para uma cinemateca ideal". Método de escolha: a publicação convidou 76 críticos e historiadores de cinema para participarem da seleção dos filmes, que os escolheram através de votação. Confira abaixo, em ordem a partir do mais bem votado. As estrelas indicam minha avaliação pessoal (5 estrelas=excelente; 1 estrela=péssimo).

* Cidadão Kane (1941) - Orson Welles
* O Mensageiro do Diabo (1955) - Charles Laughton
* A Regra do Jogo (1939) - Jean Renoir
* Aurora (1927) - Friedrich Wilhelm Murnau
* O Atalante (1934) - Jean Vigo
* M, o Vampiro de Dusseldorf (1931) - Fritz Lang
* Cantando na Chuva (1952) - Stanley Donen & Gene Kelly
* Um Corpo que Cai (1958) - Alfred Hitchcock
* O Boulevard do Crime (1945) - Marcel Carné
* Rastro de Ódio (1956) - John Ford
* Ouro e Maldição (1924) - Erich von Stroheim
* Rio Bravo - Onde Começa o Inferno (1959) - Howard Hawks
* Ser ou Não Ser (1942) - Ernst Lubitsch
* Era uma Vez em Tóquio (1953) - Yasujiro Ozu 
* O Desprezo (1963) - Jean-Luc Godard
* Contos da Lua Vaga (1953) - Kenji Mizoguchi
* Luzes da Cidade (1931) - Charlie Chaplin
* A General (1927) - Buster Keaton 
* Nosferatu (1922) - Friedrich Wilhelm Murnau
* A Sala de Música (1958) - Satyajit Ray
* Monstros (1932) - Tod Browning
* Johnny Guitar (1954) - Nicholas Ray
* A Mãe e a Puta (1973) - Jean Eustache
* O Grande Ditador (1940) - Charlie Chaplin
* O Leopardo (1963) - Luchino Visconti
* Hiroshima, Meu Amor (1959) - Alain Resnais
* A Caixa de Pandora (1929) - Georg Wilhelm Pabst
* Intriga Internacional (1959) - Alfred Hitchcock
* O Batedor de Carteiras (1959) - Robert Bresson
* Amores de Apache (1952) - Jacques Becker
* A Condessa Descalça (1954) - Joseph Mankiewicz
* O Tesouro do Barba Rubra (1955) - Fritz Lang
* Desejos Proibidos (1953) - Max Ophüls
* O Prazer (1952) - Max Ophüls
* O Franco Atirador (1978) - Michael Cimino
* A Aventura (1960) - Michelangelo Antonioni
* O Encouraçado Potemkin (1925) - Sergei M. Eisenstein
* Interlúdio (1946) - Alfred Hitchcock
* Ivan, o Terrível (1944) - Sergei M. Eisenstein
* O Poderoso Chefão (1972) - Francis Ford Coppola
* A Marca da Maldade (1958) - Orson Welles
* Vento e Areia (1928) - Victor Sjöström
* 2001: Uma Odisséia no Espaço (1968) - Stanley Kubrick
* Fanny e Alexander (1982) - Ingmar Bergman
* A Turba (1928) - King Vidor
* 8 1/2 (1963) - Federico Fellini
* Sel Sol (1962) - Chris Marker
* O Demônio das Onze Horas (1965) - Jean-Luc Godard
* O Romance de um Trapaceiro (1936) - Sacha Guitry
* Amarcord (1973) - Federico Fellini 
* A Bela e a Fera (1946) - Jean Cocteau 
* Quanto mais Quente Melhor (1959) - Billy Wilder
* Deus Sabe quanto Amei (1958) - Vincente Minnelli
* Gertrud (1964) - Carl Theodor Dreyer
* King Kong (1933) - Ernst Shoedsack & Merian J. Cooper
* Laura (1944) - Otto Preminger
* Os Sete Samurais (1954) - Akira Kurosawa
* Os Incompreendidos (1959) - François Truffaut
* A Doce Vida (1960) - Federico Fellini
* Os Vivos e os Mortos (1987) - John Huston
* Ladrão de Alcova (1932) - Ernst Lubitsch
* A Felicidade não se Compra (1946) - Frank Capra
* Monsieur Verdoux (1947) - Charlie Chaplin
* O Martírio de Joana d'Arc (1928) - Carl Theodor Dreyer
* Acossado (1960) - Jean-Luc Godard
* Apocalypse Now (1979) - Francis Ford Coppola
* Barry Lyndon (1975) - Stanley Kubrick 
* A Grande Ilusão (1937) - Jean Renoir
* Intolerância (1916) - David Wark Griffith
* Partie de Campagne (1936) - Jean Renoir
* Playtime (1967) - Jacques Tati
* Roma, Cidade Aberta (1945) - Roberto Rossellini
* Sedução da Carne (1954) - Luchino Visconti
* Tempos Modernos (1936) - Charlie Chaplin
* Van Gogh (1991) - Maurice Pialat
* Tarde Demais para Esquecer (1957) - Leo McCarey
* Andrei Rublev - O Artista Maldito (1969) - Andrei Tarkovsky
* A Imperatriz Galante (1934) - Joseph von Sternberg
* Intendente Sansho (1954) - Kenji Mizoguchi
* Fale com Ela (2002) - Pedro Almodóvar
* Um Convidado bem Trapalhão (1968) - Blake Edwards
* Tabu (1930) - Friedrich Wilhelm Murnau
* A Roda da Fortuna (1953) - Vincente Minnelli
* Nasce uma Estrela (1954) - George Cukor
* As Férias do Sr. Hulot (1953) - Jacques Tati
* A Terra do Sonho Distante (1963) - Elia Kazan
* O Alucinado (1953) - Luis Buñuel
* A Morte num Beijo (1955) - Robert Aldrich
* Era uma Vez na América (1984) - Sergio Leone
* Trágico Amanhecer (1939) - Marcel Carné
* Carta de uma Desconhecida (1948) - Max Ophüls
* Lola, a Flor Proibida (1961) - Jacques Demy
* Manhattan (1979) - Woody Allen
* Cidade dos Sonhos (2001) - David Lynch
* Minha Noite com Ela (1969) - Eric Rohmer
* Noite e Neblina (1955) - Alain Resnais
* Em Busca do Ouro (1925) - Charlie Chaplin
* Scarface - A Vergonha de uma Nação (1932) - Howard Hawks
* Ladrões de Bicicletas (1948) - Vittorio de Sica
* Napoleão (1927) - Abel Gance