segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Ministro de Israel responde a email

Como muitos de vocês, mandei um email para o primeiro ministro de Israel, pedindo o cessar fogo em Gaza. O gabinete mandou uma longa resposta, acredito que automática. Não farei considerações sobre o email. O leitor que tome suas próprias conclusões. No entanto, atenção para algumas frases como: "a culpa por qualquer injúria a civis palestinos recai exclusivamento sobre o Hamas" e "não existe nenhuma crise humanitária em Gaza"(!!!!!!) e também "o Hamas abandonou unilateralmente o cessar-fogo". Sobre esta última, o relator da ONU para a Palestina, Richard Falk, disse recentemente que a trégua mediada pelo Egito foi na verdade quebrada por Israel, em um ataque a Gaza no dia 4 de novembro de 2008. Abaixo alguns trechos no original e em português:

from Prime Minister's Office
to Carlos Coimbra
date Mon, Jan 5, 2009 at 1:21 PM

We acknowledge receipt of your e-mail regarding the IDF campaign to protect the residents of southern Israel.
(...)
Since seizing control of the Gaza Strip by way of a violent coup in June 2007, Hamas – a terrorist organization allied with Iran, Syria, Al Qaida and Hizbullah – has escalated its assault on the State of Israel. Even a truce with Israel was abused by Hamas which persisted in attacking Israeli towns, while also conspiring to upgrade its terrorist capabilities, manufacture and smuggle massive quantities of weapons into Gaza and construct a network of underground tunnels for combat purposes. Now, after Hamas has unilaterally abandoned this ceasefire and expanded the range of its missiles to threaten close to one million Israelis, the State of Israel must act decisively to defend its citizens.

(...)
Hamas, (...) callously places Palestinian civilians in harm’s way, (...) taking the Palestinians of Gaza hostage and using them as human shields. Responsibility for injury to civilians in Gaza rests solely with Hamas.

(...) the State of Israel is doing its utmost to minimize any harm to the Palestinian civilian populace; hundreds of trucks carrying humanitarian aid have been allowed passage into Gaza and this assistance will continue. There is no humanitarian crisis in the Gaza Strip.

The State of Israel seeks peace (...).

Sincerely,

Prime Minister’s Office


Tradução:

"Acusamos o recebimento de seu e-mail acerca da campanha da IDF para a proteção dos moradores do sul de Israel."
(...)
"Desde que tomou o poder na Faixa de Gaza por meio de um violento golpe em junho de 2007, o Hamas - organização terrorista aliada do Irã, Síria, Al Qaeda e Hezbollah - começou uma onda de agressividade contra o Estado de Israel. A trégua que havia com Israel foi quebrada pelo próprio Hamas que persistiu no ataque a cidades israelenses, enquanto conspirava para reciclar suas capacidades terroristas, manufaturar e traficar quantidades maciças de armas e construir uma rede de túneis subterrâneos para propósitos bélicos. Agora, depois que o Hamas abandonou unilateralmente o cessar-fogo e expandir o arsenal de mísseis para ameaçar um milhão de israelenses, o Estado de Israel deve atuar decisivamente para defender seus cidadãos."
(...)
"O Hamas (...) insensivelmente leva os cidadãos palestinos para caminhos danosos (...) tomando os palestinos de Gaza como reféns e os usando como escudos humanos. A responsabilidade por qualquer injúria a civis em Gaza recai exclusivamente sobre o Hamas." (grifos nossos)

"(...) o Estado de Israel está fazendo o máximo para minimizar qualquer dano a civis palestinos; centenas de caminhões levando ajuda humanitária estão entrando em Gaza e tal assistência continuará. Não existe nenhuma crise humanitária na Faixa de Gaza." (grifos nossos)

"O Estado de Israel procura a paz (...)."

"Atenciosamente,

Gabinete do Primeiro Ministro"

2 comentários:

  1. Tb recebi tal resposta amigo.
    Só uma lembrancinha para os desavisados o Hamas chegou ao poder ELEITO DEMOCARATICAMENTE pelos Palestinos, isto não que dizer que eu apoio muitas de suas atitudes, porém vale o registro.

    ResponderExcluir
  2. Pois é André. Toda notícia que vejo sobre relator da Onu, eles falam mais mal de Israel do que do Hamas. Aquela história de que quem teria quebrado a trégua foi o Hamas, contida no email que recebemos, parece que é balela. Segundo os relatores da Onu, quem quebrou a trégua foi o próprio Israel, em 4 de novembro último ao atacar Gaza.

    ResponderExcluir