domingo, 31 de maio de 2009

2100: O ano em que descobriremos que fomos enganados

Naquela data espetacularmente distante para um humano, mas um nada para o universo, descobriremos que

1. Mentiram para todos, quando disseram que refrigerante era uma bebida gostosa e refrescante e significava viver positivamente: todos adoravam aquela sopa de aditivos químicos gaseificada e cancerígena.

2. Mentiram quando disseram que o telefone celular era o melhor amigo do homem: só trouxe estresse, preocupação, apego, e as tarifas nunca diminuíam, mesmo após 90% da população aderir ao produto, sem falar em desconhecidos danos ao cérebro... O espelho de escambo indígena do século XXI.

3. Fomos totalmente enganados pelos governos, que cobraram trilhões de impostos, impostos embutidos no valor do produto, e onde o dinheiro foi usado na compra de armas, mísseis, tecnologia de destruição em massa, divulgação de propaganda cara e enganosa, luxo milionário de juízes e desembargadores (comprando consequentemente a inocência de poderosos).

4. Tanto a TV paga como a aberta funcionavam sob um único interesse: o comercial puro, o poder de influência, o ibope sem pejo, o controle de massas, e enquanto falavam de aquecimento global no jornal das oito, no intervalo comercial veiculavam trilhões de propagandas de automóveis.

5. Mentiram quando disseram que crise significava produzir menos produtos de consumo e consequentemente diminuir a riqueza dos países. Perceberemos que não estavam falando de países, mas de um único país, a saber, Estados Unidos da América. E enquanto isso, durante toda a história dos século XX um continente inteiro estava em crise, a África, e ninguém notou isso.

6. Fomos totalmente enganados quando nos disseram que ter um carro significava conforto, luxo e independência: ruas entravadas por congestionamentos quilométricos, poluição sonora de motores e buzinas, constante medo de perder o veículo em assaltos, constante medo de ser multado, constante medo de sofrer um acidente, constante preocupação em fazer manutenção, constante preocupação em pagar mais uma vez impostos IPVA e tantos outros, constante preocupação com a depreciação do veículo. Em geral, ninguém se preocupa é com a poluição que sai da combustão interna, principalmente destes carros gigantescos, bestas do apocalipse ambiental.

7. Nos passaram a perna, quando disseram que eleger um candidato ao parlamento ou instituição do gênero significava eleger um representante da democracia. Pelo visto, a democracia ficou no processo eleitoral apenas; após o processo eleitoral, cai a carapuça, e a força de lobbys autoritários de algumas poucas empresas sufocam completamente nossa capacidade de significarmos alguma coisa para a escolha do que é melhor para o poder público.

8. Nos enganaram quando empurram lotes e lotes de carne bovina, suína e aviária por goela abaixo, dizendo que "tem vitaminas, proteínas e faz bem para a saúde". A culturinha da carne, que destrói árvores para a substituição por pasto e gado, criando anomalias que ninguém gosta de pensar, como gripes animais que mutam para gripes humanas, moléculas priônicas que dissolvem o cérebro, o cúmulo da idiotia e ilógica.

Só descobriremos o que é realmente liberdade, quando nos livrarmos das mentiras dos injustos.