quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

10 Melhores filmes 2009

Aí vai minha lista dos 10 mais de 2009.

Up - Altas Aventuras (de Pete Docter e Bob Peterson, EUA): a Pixar tem acertado quase sempre, e é a segunda vez que considero um filme da Pixar o melhor do ano (o outro Ratatouille em 2007: adorei Paris e a gastronomia francesa no olhar pixariano); aqui temos um vovô nostálgico em paisagem exuberante, roteiro magnífico, voltei à infância. Os dez primeiros minutos são memoráveis e a singularidade da narrativa é fascinante.

Entre os Muros da Escola (de Laurent Cantet, França): não foi à toa que ganhou Cannes; questionamentos sobre ser aluno e professor na pós-modernidade. A cena em que o professor chama a aluna de vadia e o resultado disso já valem o filme.


Distrito 9
(de Neill Blomkamp, África do Sul): e se os alienígenas viessem? E se eles fossem aparentemente mais fracos? E se eles fossem "feios"? Este filme é um passeio sobre o que seria a vinda de alienígenas "fracos, feios e nojentos" e sua segregação em uma favela no meio de uma cidade grande do terceiro mundo. Efeitos visuais eficientes. A trama evoca a tônica de clássicos como "A Mosca" (o humano se transformando em "monstro"), "Cidade de Deus" (os favelados e toda violência que podem oferecer) e "Alien" (o horror que seres alienígenas são capazes de causar).

Um Lugar ao Sol (de Gabriel Mascaro, Brasil): documentário ousado sobre a vida dos brasileiros que moram em coberturas de luxo. O próprio discurso de muitos dos entrevistados parece cavar uma cova rumo ao ridículo. Reflexão social de primeira linha que certamente será pouco lembrada pelo público nos próximos anos. Mas faço questão de enfatizar que este é um dos filmes de que mais gostei em 2009 e quiçá em minha vida. Tive o prazer de me encontrar com o diretor em Recife e fazer algumas perguntinhas. Certamente é o melhor filme brasileiro de 2009, se bem que ainda não vi o novo de Marcelo Gomes (que dizem que arrebentou a boca do balão).

Star Trek (de J. J. Abrams, EUA): a história do Cap. Kirk, Dr. Spock e nave enterprise é repaginada numa versão rica em efeitos visuais excelentes, evocação correta da física e astrofísica, diálogos eficientes e jocosos. O melhor roteiro que já vi em ficção científica sobre viagem no tempo e universos paralelos.



Deixe Ela Entrar (de Tomas Alfredson, Suécia): benvinda surpresa, ousada e de estética incrível, história de vampiros que humilha sem dó "Crepúsculo", "Lua Nova" e toda tralha do gênero.



Bastardos Inglórios (de Quentin Tarantino, Alemanha): sátira de primeira linha aos "patéticos arianos". Christopher Waltz, no papel de Cel. Landa, rouba o filme e se consagra, na minha humilde opinião, como o melhor ator de 2009. A primeira cena, ou capítulo 1 "Numa França dominada pelos Nazistas", é sensacional, homenagem clara aos filmes de Sergio Leone. A cena da taberna francesa, bem como o finale no cinema francês, merecem menção honrosa. O filme é falado em quatro idiomas.

A Partida (de Yojiro Takita, Japão): Oscar de melhor filme estrangeiro de 2009, um filme sensível às fases da vida humana, mormente no que concerne à morte. A história de um violoncelista que se torna embalsamador de cadáveres, seguindo a curiosa tradição funerária japonesa. Os preconceitos, alegrias e tristezas que advêm da profissão são abordados com esmero.

Avatar (de James Cameron, EUA): ficção científica e criação biológica soberba de um mundo totalmente novo, com fauna, flora e mitologia próprias. É isso que James Cameron faz neste filme de efeitos visuais excepcionais, orquestrados pela WETA de Peter Jackson. Os personagens artificiais pela primeira vez parecem ter olhares autenticamente humanos.

Se Beber não Case (de Todd Philips, EUA): existe uma fina linha que separa o besteirol (aqui "americano") da comédia inteligente. Se Beber não Case é um exemplo claro de como um filme aparentemente besteirol consegue transpor a linha e se tornar humor inteligente de primeira.

6 comentários:

  1. Peregrino! apesar de não ter visto a maioria deles, creio que vou concordar com a colocação de "Up". Vou ver os outros com certeza.

    ResponderExcluir
  2. Pois é Lilian, Up é estourando o melhor! O velhinho me conquistou. :)

    ResponderExcluir
  3. Mais uma vez muito obrigado pela lista! Meu comentário especial é com relação ao Distrito 9: eu não consegui assistir este filme em Nápoles, pois por motivos óbvios para quem está morando aqui há algum tempo, eles o colocaram para passar somente em um único horário (23:30), em um único cinema, fora da cidade onde o transporte público vai até às 22:00. Abração!

    ResponderExcluir
  4. Celião, explica p nós quais são os motivos óbvios...

    ResponderExcluir
  5. Tem razão, talvez não seja tão obvio assim. Prefiro escrever com calma sobre isso, Carlão. E talvez o espaço aqui não seja o melhor. Te aviso quando colocar um texto sobre isso no meu blog, ok?

    ResponderExcluir
  6. Beleza Celião, fico no aguardo e com curiosidade. Abração!

    ResponderExcluir