A prática regular de ioga ao menos duas vezes por semana melhora a qualidade de vida, proporciona um sono melhor, reduz a fadiga e a necessidade de tomar remédios para dormir.


Todos esses benefícios foram constatados em estudo feito com 410 pacientes com câncer (a maioria mulheres com tumor de mama). Os resultados serão apresentados em junho no congresso da Asco (Sociedade Americana de Oncologia Clínica).


Os pesquisadores dividiram o grupo em dois: metade fez aulas de ioga suave e restauradora (incluindo posturas especiais e exercícios de respiração) e a outra metade era o grupo controle.


Ao final de um mês, quem praticou ioga relatou 22% de melhora na qualidade do sono -duas vezes mais do que quem não fez o exercício.


O primeiro grupo também afirmou ter reduzido o cansaço pela metade e ter diminuído a quantidade de medicamentos usados para dormir.


"Aplicamos essas séries não apenas para pessoas com câncer, mas com outros problemas como dores na coluna, de cabeça, dores menstruais, hérnia de disco, insônia", afirma Sandro Bosco, professor de iyengar yoga (técnica restauradora) da escola Yoga Dham.


RESPIRAÇÃO


Bosco diz que as posturas restauradoras trabalham focando na abertura do tórax para promover a expansão do aparelho respiratório e, consequentemente, promover a melhoria da respiração.


Outro foco dessa modalidade de exercícios é o alinhamento da coluna. "Trabalhar no realinhamento da coluna é como abrir um espaço para readequar os órgãos. Isso melhora a irrigação sanguínea e a oxigenação", diz.
Bosco, que dá aula para mulheres com câncer, diz que elas fazem uma série diferenciada de exercícios em relação às outras alunas: 80% da série é focada nas posturas restauradoras.


"São exercícios com a pessoa sentada, deitada, apoiada em uma cadeira, com cobertores, almofadas. Esses objetos reduzem o esforço físico e ajudam o aluno a permanecer na postura correta por mais tempo, aumentando os benefícios", afirma.


Para Paulo de Tarso Lima, membro do Programa de Medicina Integrativa do hospital Albert Einstein, a ioga é um instrumento eficaz na melhoria da respiração.


"Um dos grandes benefícios da ioga é que ela ensina as pessoas a "reaprender" a respirar. E as pacientes com câncer de mama têm dificuldades óbvias para respirar porque a cirurgia é no tórax, a respiração fica mais curta e tem todo um fator psicológico envolvido", afirma.


Segundo Lima, se a pessoa aprender a respirar adequadamente, consequentemente sentirá menos cansaço e terá um sono restaurador.


"Esse trabalho demonstra, de forma clara, todos os benefícios da ioga já relatados pelos pacientes que fazem uso da terapia complementar e que não tinham respaldo acadêmico", diz Lima.


OUTROS ESTUDOS


"Esse estudo está em linha com outros que mostram benefícios de práticas como a meditação nesses pacientes", diz o oncologista Artur Katz, do Sírio-Libanês.


Segundo ele, um dos méritos da pesquisa é o fato de ser feita com grupo controle, o que afasta a subjetividade.
"Praticar ioga ou meditação pode ajudar a reduzir os níveis de ansiedade, que está relacionada a alguns efeitos colaterais do tratamento do câncer", diz Katz.


"Outros exercícios, como caminhar ou nadar, também promovem benefícios semelhantes", completa Lima.