segunda-feira, 12 de julho de 2010

Perdão a desmatador custará 10 bilhões de reais ao seu bolso

O GLOBO, 08/07/2010

Reportagem de Jailton de Carvalho

O prejuízo financeiro com a anistia para proprietários multados por desmatamento ilegal, conforme prevê a reforma do Código Florestal aprovada na Comissão Especial da Câmara na terça-feira, é maior do que os valores calculados por ambientalistas. Levantamento do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Renováveis (Ibama) informa que, se a proposta for levada adiante, o governo perderá R$ 10,6 bilhões.

O valor corresponde à soma das multas aplicadas entre 1994 e 22 de julho de 2008, período que seria alcançado pela anistia.

A proposta, uma das principais reivindicações da bancada ruralista, foi duramente criticada pela ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira. Para a ministra, o perdão imediato da dívida não é uma boa alternativa para a regularização ambiental, como defende o relator do projeto, deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP). O projeto deverá ser votado pelo plenário da Câmara depois das eleições.

— O caminho não é anistiar. E quem cumpriu a lei, como fica? Deixa de cumprir? Outra coisa: quanto custa isso? Há um custo — adverte a ministra.

O perdão das dívidas está previsto no artigo 24 do relatório elaborado por Aldo.

— Em outros programas, como dos clubes com dívidas com o INSS, suspendem-se as multas. Depois, se a empresa se regularizar, dá baixa na dívida. O que não pode é dizer previamente: está todo mundo perdoado, está zerado o taxímetro — afirma Izabella.

2 comentários:

  1. Coisas do Brasil, você destroi a natureza e o futuro porque sabe que um dia será anistiado e quem sabe até louvado como mestre do desenvolvimento. Aldo Rebelo (PCdoB) deveria ter vergonha em sua cara de estar relatando e defendendo tal absurdo!

    ResponderExcluir
  2. Pois é André. Ótimo comentário!

    Admiro muito Aldo Rebelo, mas desta vez ele se curvou demais diante da pressão da bancada ruralista.

    ResponderExcluir