quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Herbicida causa má formação e efeitos teratogênicos



Provavelmente o herbicida mais conhecido pelos produtores seja o famoso GLIFOSATO. Mas o que é o glifosato?

Ele é um herbicida sistêmico e mata qualquer tipo de planta. Foi desenvolvido principalmente para matar ervas daninhas. É aplicado praticamente em todas as lavouras de forma extensiva. O objetivo de alguns produtos transgênicos é exatamente o de ser resistente ao glifosato na hora de sua aplicação. É o caso de diversas sojas transgênicas. A erva daninha morre e o que sobra é a soja transgênica.

A principal empresa fabricante do herbicida é a Monsanto, vendendo-o sob o nome Roundup. E a principal empresa fabricante de transgênicos resistentes ao Roundup é também a Monsanto.

Em agosto foi publicado na grande revista Chemical Research in Toxicology um artigo experimental sobre o assunto (veja abaixo, em inglês) por uma equipe de químicos liderada pelo argentico Andrés Carrasco. O impacto da publicação gerou diversos protestos entre agrônomos e agricultores argentinos. A equipe do Prof. Carrasco chegou a ser espancada em uma palestra sobre o assunto no mês passado.

A principal crítica alegada pelos defensores do glifosato era a de que o estudo ainda não havia sido publicado em um periódico relevante e, portanto, não teria valor científico.

Finalmente, em 09 de agosto o artigo foi publicado pela Sociedade Americana de Química (ACS, na sigla em inglês) -- que conta com mais de 160 mil membros e é referência mundial --, assinado por toda a equipe científica de Carrasco, legitimando-o definitivamente.

Durante 30 meses os pesquisadores estudaram o efeito do glifosato em embriões de anfíbios e frangos. O estudo intitulado “Herbicidas a base de glifosato produzem efeitos teratogênicos em vertebrados interferindo no metabolismo do ácido retinoico” confirma as deformações produzidas pelo veneno em concentrações até 5 mil vezes menores do que as do produto comercial (500 menores do que as utilizadas na agricultura).

Provavelmente você não ouvirá falar disso no Jornal Nacional ou na Veja. E provavelmente, se você for aluno de agronomia de alguma universidade, ouvirá do seu professor que tudo o que acabo de dizer não tem confirmação em humanos.

E assim, a vida é... Vamos comendo herbicida que comprovadamente produz deformações em embriões e nada será feito quanto ao assunto. Ou você que está lendo a notícia dará o primeiro passo? A pergunta é: como dar o primeiro passo? A resposta: valorizando a produção orgânica e questionando a salubridade do agronegócio.

Clicando na figura abaixo você poderá ler o resumo do artigo (em inglês) ou para ler o artigo completo acesse a página da revista aqui.

Um comentário: