domingo, 31 de outubro de 2010

Não vou postar mais nada sobre eleições: vamos ao que realmente interessa!

O youtube é a vitória do anarquismo sobre qualquer sistema de governo. Ele tem suas pequenas censuras, feitas por grandes corporações do áudio-visual, mas no fundo as pessoas dizem o que querem (podem ser processadas em seus países depois por isso), mas terão seus vídeos expostos por no mínimo um certo período de tempo.

Nenhum governo controla o youtube. Tem uma empresa chamada Google que faz isso. Enquanto ela não cobrar dinheiro do usuário, para mim significa a vitória temporária dos sistemas abertos e softwares livres. (Lógico que alguém paga por isso: no youtube há advertisements, mas eu ainda prefiro o sistema de doações, como aquele adotado pelo Ubuntu, empresa fortíssima de distribuição de softwares livres.)

Vamos ao que interessa: a Globo, a Record, o SBT, a Band e por aí vai são todas concessões do governo brasileiro. O youtube, o vimeo, o googlevideos e por aí vai não respondem a ninguém (embora ainda sejam reféns desse sistema inescrupuloso chamado capitalismo financeiro, aquele mesmo que criou as bolhas que detonaram com os EUA e a Europa).

Um exemplo claro do que eu gostaria de ver no futuro do mundo é a orquestra sinfônica do youtube. O youtube fez um vídeo promocional (abaixo) e pessoas do mundo inteiro podem treinar com seus instrumentos musicais, enviar um vídeo e concorrer a uma vaga na orquestra, que fará apresentação pública e ao vivo na Opera House de Sidney em 2011. Portanto, viva essa liberdade responsável que por enquanto ainda temos em redes como o youtube. Notem que a rede é altamente anarquista (não há uma hierarquia clara e você decide quem são os mais vistos e os mais valorizados e você, se quiser, pode doar dinheiro para a rede; a wikipedia, apesar de ainda ser meio falha no conteúdo, é outro exemplo disso que estou falando; há trilhões de outros exemplos).

Na rede ainda existem esses privilégios concedidos a países de língua inglesa e empresas de grande porte. Mas como ela é, mesmo assim, pluralista e há diversas línguas (notem que esse blog é em português), desconfio que a tendência é a desvalorização do inglês por algo que não sei definir ainda (um "internetês"?) e a flexibilização das empresas para atender aos novos paradigmas e se desvencilhar do capitalismo financeiro. Vamos ver o que vai acontecer no futuro, já que as coisas ainda são novas.

Com vocês, a vedete do momento. Que não é, a meu ver, nem Dilma nem Serra.

A vedete do momento: a Orquestra Sinfônica do Youtube:


Nenhum comentário:

Postar um comentário