sábado, 26 de março de 2011

Dia 1: 22/03

Dei aula até as 23h do dia 21 e agora estou finalizando de arrumar as malas. Às 2h o taxista passa para me pegar, rumo a uma viagem interminável de duas horas e meia até Foz do Iguaçu. Lá fiz o check-in para a viagem a São Paulo às 5h30. No entanto, o avião, atrasado, só partiu às 8h...

Chegando a Sampa, iludi-me com a ideia de que encontraria hotel facilmente sem reserva. O fato é que na correria dos projetos não fizera algo vital: reservar um. Depois de rodar por uma hora e meia num táxi, percebi que era melhor arriscar uma ida à casa dos meus primos, o que deu certo já que havia vaga para mim.

Guardei as malas, tomei um ônibus e fui para a USP.

Chegando à Escola Politécnica, fui direto participar da mesa redonda sobre Ciência e Educação no Brasil. Compondo a mesa, professores que ganharam o edital 51/2010 do MCT/CNPq/Capes (entre eles este que vos fala), o presidente do CNPq, o presidente da Capes, o Secretário de Divulgação Científica do MCT e um dos principais secretários do MEC.

A discussão girou em torno da qualidade da educação no país. Um dos pontos em que toquei foi o questionamento acerca do parco percentual destinado à educação, o que remete ao fato de que ela não é considerada prioridade pelas bancadas do congresso.

À tarde participei de um mini-curso sobre organização de eventos científicos.

À noite, depois de perceber que não dormia a 24h, simplesmente capotei.

sexta-feira, 18 de março de 2011

Relato de viagem a partir de 22/03

Fui convidado para participar de uma mesa redonda na USP para discutir Ciência e Tecnologia no país.

Do dia 22/03 até o dia 27/03, farei um relato diário dos acontecimentos da viagem e do evento.

Aguardem!




quarta-feira, 9 de março de 2011

Série "Músicas que os ETs ouvirão" : Johnny B. Goode (Chuck Berry)

E como já comentado, os ETs também ouvirão manifestações modernas da música popular global. Como este exemplo derivado da música negra estadunidense e provavelmente uma das músicas que deu origem ao chamado "rock'n'roll" na década de 1950.

Aproveitando para homenagear a um filme da minha infância, "De Volta para o Futuro" (Dir: Robert Zemeckis, 1985), que certamente deu impulso para a curiosidade sobre o espaço-tempo, a física e loucuras mentais diversas. Há uma cena clássica do filme onde o personagem Marty McFly, em 1955, começa a tocar a música citada no título da postagem, composta e lançada por Chuck Berry em 1958.

Dancem, caros ETs, ao som da mais famosa introdução de guitarra de todos os tempos.

segunda-feira, 7 de março de 2011

Série "Músicas que os ETs ouvirão": A Estrela da Manhã (música aborígene australiana)

A quinta faixa do disco de ouro enviada para os ETs através da Voyager contém uma música aborígene australiana. Já ouvi esse tipo de música in loco, quando fui a Melbourne em 2006. O principal instrumento musical utilizado, que para mim é encantador, é o didgeridoo, um instrumento de sopro de cano longo que produz um som altamente grave. Tive oportunidade de ouvir cantos harmônicos acompanhados de didgeridoo. Neste tipo de canto, existem interferências destrutivas entre o som do cantor e o som do instrumento musical, e se produz uma espécie de "silêncio" musical magnífico que eu nunca havia presenciado antes.

Pelo que percebi, o disco de ouro da Voyager contém as músicas de "matemática sofisticadíssima" como aquelas de Bach e Beethoven (músicas universais), e as músicas de cunho cultural e autóctone, demonstrando as riquezas de sons produzidos pelos humanos das várias culturas.

Fiquem agora com o didgeridoo e o canto da música aborígene australiana. A lista completa de músicas enviadas para o espaço pode ser vista no sítio da NASA.

domingo, 6 de março de 2011

Série "Músicas que os ETs ouvirão": Brandeburg Concertos n. 2 (Bach)

A sonda espacial Voyager, que se encontra viajando pelo espaço interestelar, leva consigo um disco de ouro contendo o que uma grande comissão internacional constatou ser o que melhor representa a Terra musicalmente.

A faixa n. 1 do disco contém a seguinte música:  "Bach, Brandenburg Concerto No. 2 in F. First Movement, Munich Bach Orchestra, Karl Richter, conductor" (Fonte: NASA).

Confiram o que os ETs escutarão de nós ao ligar o disco:

quinta-feira, 3 de março de 2011

Continuando a Saturnália romana... Há uma luz no fim do túnel.


Continuando com a postagem anterior, um novo email do amigo Cláudio Barreto.
 
Acesso em: 2 mar 2011.
 
Ministro suspende censura a ONG que questiona maus tratos a animais em Barretos
O ministro Joaquim Barbosa, do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu liminar à organização não-governamental Projeto Esperança Animal (PEA) suspendendo decisão da justiça paulista que proibiu a entidade de vincular os organizadores da Festa do Peão de Boiadeiro de Barretos à tortura ou maltrato de animais.

A cautelar foi concedida na Reclamação (Rcl 11292) apresentada pela PEA contra decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo que, além de manter a proibição, elevou o valor fixado em primeiro grau para indenização por dano moral contra a associação “Os Independentes”, promotora da festa. “Há espaço suficiente para diferentes opiniões na esfera pública, e é importante para a democracia brasileira que continue assim”, afirmou o ministro.

O relator considerou que a decisão de proibir a veiculação da opinião de que o uso do sedém* é cruel viola o entendimento do STF na ADPF 130, que considerou a Lei de Imprensa incompatível com a Constituição Federal. “Trata-se de juízo que tem fundamento ético, ligado a uma determinada opção de vida e a uma determinada forma de se relacionar com os animais, opinião que não é uníssona e nem de longe compartilhada por todos os cidadãos brasileiros”, observou Joaquim Barbosa.

“A mera existência e circulação de uma opinião divergente sobre os rodeios não ofende os direitos de quem os organiza, patrocina ou frequenta", ponderou o ministro. “Salvo raríssimas exceções – penso, por exemplo, na proibição do discurso do ódio existente em várias democracias -, não cabe ao Estado, nem mesmo ao Judiciário, proibir ou regular opiniões”.